Natural de Santo Ângelo, na Região das Missões, e graduado pela Universidade Federal de Rio Grande (FURG), em 1999, o dr. Giovani Luis Sassi, 48 anos, tem sua carreira dedicada à saúde pública. Formado em Clínica Geral, realizou pós-graduação em Saúde da Família, com atuação na Unidade Básica de Saúde do Morro da Cruz, em Porto Alegre. Ali, aprendeu sobre gestão e a lidar com as necessidades de famílias em situação de vulnerabilidade social. “Eu gosto de trabalhar com saúde pública, com o SUS. Gosto de trabalhar na área hospitalar, com os pacientes. É onde me sinto bem”, revela.

Dr. Giovani Sassi, diretor técnico do Hospital Santa Luzia, em Capão da Canoa / Foto: Comunicação AESC

Desde 1º de dezembro de 2020, dr. Giovani Sassi assumiu a Direção Técnica do Hospital Santa Luiza (HSL), mantido pela AESC em Capão da Canoa, e atua como responsável técnico, em substituição à dra. Patrícia Polanczyk de Oliveira. Trabalhando no litoral há mais de 20 anos, Sassi ingressou na AESC em 2012, então como diretor médico do Hospital Santo Antônio, em Santo Antônio da Patrulha, à época integrado à mantenedora. Ocasionalmente, fazia plantões no HSL. Em 2018, foi convidado a acompanhar a rotina clínica dos pacientes internados pelo SUS. Aceitou e continua até hoje nessa atividade, enfrentando nos dias de hoje os desafios da Covid-19, além da atribuição de gestor. Conheça um pouco mais sobre o dr. Sassi na entrevista abaixo:

O que representa assumir cargo de diretor médico do Hospital Santa Luzia em meio à pandemia do novo coronavírus?

É um desafio diferente. Tenho experiência em Direção Técnica, mas diante da situação em que vivemos é algo totalmente inédito e complicado. Dificuldades são enfrentadas diariamente. Em uma manhã de dezembro, por exemplo, tínhamos três pacientes internados e, ao final da tarde, toda a Enfermaria estava ocupada, três pacientes intubados em UTI e buscávamos leitos em outros hospitais para encaminhar os pacientes. Ainda bem que temos o apoio da AESC para resolver esses problemas.

 

Como manter as equipes motivadas e em alerta, num contexto que envolve o lado emocional, além do domínio técnico?

O primeiro desafio é dar qualidade ao atendimento. O segundo desafio é manter a equipe bem. A equipe está reduzida, em razão dos afastamentos necessários, e o aumento do volume de pacientes sobrecarrega a estrutura – como tem ocorrido em todos os hospitais – e nossos profissionais precisam de apoio das coordenações. Esse ato de estar junto das equipes, ao lado, é o que faz com que nos sintamos uma família lutando contra a pandemia. É essa a ideia que procura passar os nossos profissionais. Temos que nos abraçar e lutar para passar por essa situação que nenhum de nós esperava ou planejava, mas que precisamos enfrentar.

 

Há mais de 20 anos a carreira do dr. Giovani Sassi teve início no litoral norte, em Santo Antônio da Patrulha, no hospital do município, na prefeitura e nos postos de saúde locais. Depois, atuou nas cidades vizinhas de Osório, Tramandaí e, mais recentemente, em Capão da Canoa, no Hospital Santa Luzia, mantido pela AESC.  


Com o senhor vê o papel da Congregação das Irmãs de São Carlos Borromeo-Scalabrinianas no suporte às ações do Hospital Santa Luzia?

É de suma importância. Nos sentimos mais fortes. Potencializa nossas forças. A ideia que as irmãs nos passam é que estamos aqui para ajudar aqueles que mais necessitam. O HSL tem na sua grande maioria atendimentos pelo SUS, com menos de 10% de convênios. Essas pessoas que solicitam nosso apoio são as que realmente precisam. Essa é a nossa grande missão e é o que estamos tentando sempre fazer, de uma forma qualificada.


Quem é o Giovani Sassi, sem jaleco e sem estetoscópio, aquela pessoa que se cuida durante o dia para proteger sua família no retorno para casa?

É o marido da Camila, pai da Isabela, 13 anos, da Gabriela, 11, e da Laura, que nasce no dia 29 de janeiro. É o filho do seu Ulisses e da dona Shirley. Uma pessoa normal, que gosta de se sentar, brincar com as filhas, jogar uma canastra com o pai, se divertir. É alguém que quer passar por isso tudo, como todo mundo.

Dr. Giovani Sassi, com as filhas Gabriela e Isabela (direita) / Foto: Arquivo Pessoal

Que mensagem considera importante, às vésperas de fecharmos um ano de pandemia no Brasil?

Acredito que o importante nesse momento é não desistirmos. Têm momentos nos quais cansamos, e esse cansaço é físico e mental, mas não podemos desistir. Não nesse momento em que nos encontramos. Depois de tudo que passamos, do que doamos, do que deixamos de fazer e de viver. Agora não dá para desistir. Temos que continuar lutando e vamos vencer.

“Depois de tudo que passamos, do que doamos, do que deixamos de fazer e de viver, não dá para desistir. Temos que continuar lutando. Vamos vencer.”

Dr. Giovani Sassi, Diretor Médico do Hospital Santa Luzia

Leia também: Verão com Saúde AESC apresenta estrutura do Hospital Santa Luzia

Deixe uma resposta

Fechar Menu