Com 31 anos de Mãe de Deus, a secretária da Superintendência Médica Nara Araújo tem muitas histórias para contar. “Entrei no Mãe de Deus em 1988 como recepcionista, permaneci um ano ali e depois foi substituir a secretária da Área Médica e estou aqui desde então”, conta. Fazendo uma análise destes anos todos, Nara diz que o que mais aprendeu foi se colocar no lugar de quem precisa de ajuda, seja chefias, colegas, médicos, paciente ou familiares de pacientes. “Durante todos estes anos recebi muito carinho e respeito, o qual retribuo para aqueles que precisam de mim. E procuro resolver tudo da melhor forma possível. Nestes anos aprendi também a ter lealdade com os meus colegas e principalmente com a missão da instituição”, reflete.

Nara passou por muitas diretorias médicas nestes 30 anos, e diz que aprendeu muito com cada uma delas. “Aprendi a me adaptar com as mudanças, pois cada um tem uma visão de gestão. Isso é um aprendizado para vida”. E a adaptação às mudanças foi uma das principais aliadas que a fez ter forças para enfrentar talvez um dos episódios mais difíceis da sua vida: ter recebido, em abril desde ano, o diagnóstico de câncer de mama. “Fiquei chocada, mas estava muito confiante por estar aqui dentro. Por ter sido diagnosticado no início. Recebi muito carinho das irmãs, dos médicos, dos colegas, foi muito confortante ver que todos estavam torcendo por mim. Como paciente fiquei muito segura por estar em boas mãos”, avalia.

Não antecipar resultados, não se entregar

Ela diz que um dos principais conselhos que recebeu para superar tudo isso foi não antecipar resultados, não se entregar, confiar na equipe médica. Viver uma coisa de cada vez. Tudo no seu devido tempo e com o suporte familiar. “Como o diagnóstico foi muito no início,  pois sempre fiz exames preventivos, as chances de cura eram grandes, por isso foi preciso ter calma para realizar todas as fases do tratamento. E funcionou. Hoje, depois te ter removido o tumor com uma cirurgia e ter feito radioterapia, sigo o tratamento com medicação e com os exames de diagnóstico, mas o câncer foi eliminado, vida que segue!”, revela, aliviada.

Como prevenção, Nara dá um alerta: “Tente se conhecer ao máximo. Reservar um tempo para isso. Se notar alguma alteração, é importante investigar e não deixar os exames para depois. É preciso se organizar, em função do tempo passar muito rápido é importante anotar e acompanhar as datas que os exames precisam ser realizados. Vale muito mais a pena gastar um tempo e se prevenir, depois pode ficar mais complicado”. E para quem está passando por isso, Nara aconselha: “Não tente resolver tudo sozinha, não pense que você é uma super-heroína. Tem que aceitar e procurar ajuda, uma rede de apoio, com aquelas pessoas que você se sente mais à vontade para conversar e encontrar forças para passar por tudo isso”.

Deixe uma resposta

Fechar Menu