Acolhimento nos CAPS se mantém, com protocolos de segurança, desde o início da pandemia / Foto: Comunicação AESC

A pandemia do novo coronavírus interrompeu serviços essenciais de saúde mental em 93% dos países em todo o mundo, enquanto a demanda está aumentando, de acordo com uma nova pesquisa da OMS, divulgada em 5 de outubro. O levantamento de 130 países mostra o impacto devastador da Covid-19 no acesso a esse serviço e ressalta a necessidade urgente de mais financiamento.

Para reforçar a importância do Dia Mundial da Saúde Mental, 10 de outubro, instituído em 1992, pela Federação Mundial de Saúde Mental, os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS AD) mantidos pela Associação Educadora São Carlos (AESC) foram convidados a compartilhar sua experiência de atenção aos usuários durante a pandemia, bem como, a partir dessa vivência, projetar novos cenários com representantes dos órgãos oficiais de saúde pública – Ministério da Saúde, Secretaria Estadual da Saúde e Secretaria Municipal da Saúde de Porto Alegre.

A oportunidade para participar desse debate é proporcionada pela live “Saúde mental e o amanhã após a Covid-19”, que ocorre no sábado, 10 de outubro, às 15h30min, com duração de 90 minutos. As inscrições, gratuitas, pode ser feitas a partir deste link.

Durante as falas de Danara Dall Agnol, coordenadora do CAPS AD IV Centro Céu Aberto, e do Felipe Lins, médico psiquiatra no CAPS AD III Partenon – Lomba do Pinheiro, serão abordados os seguintes tópicos: a produção do cuidado em Saúde Mental AD, a partir do lugar de quem vivencia as vicissitudes da vida na pandemia; produção do acesso e cuidado, com enfoque em cenas de rua; monitoramento telefônico; conexões com a rede viva do usuário; Plano de Contingência Covid-19; e Plano de Cuidado ao Cuidador.

Leia também: CAPS adotam nova modalidade de cuidado com a saúde mental durante o isolamento social

Representantes dos CAPS na live:

Danara Dall Agnol é assistente social, formada pela Universidade de Caxias do Sul (UCS), especialista em saúde coletiva, com larga experiência no convívio com periferias, na construção de cartografia de territórios em conflito. Desde 2018, coordena o Centro de Atenção Psicossocial – CAPS AD IV Centro Céu Aberto, único em sua modalidade no Brasil. Situado em Porto Alegre, é mantido pela AESC – Associação Educadora São Carlos, onde Danara atua de 2005.

Felipe Lins possui graduação em Medicina pela Fundação Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (2011) e residência médica em Psiquiatria pelo Grupo Hospitalar Conceição (2015). Trabalhou como psiquiatra na organização Médicos Sem Fronteiras (MSF) em 2019, em missão internacional. Tem experiência na área de Psiquiatria, atuando principalmente em saúde mental, saúde pública e direitos humanos. Integra a equipe do CAPS ADI II Partenon – Lomba do Pinheiro, em Porto Alegre, como médico psiquiatra.

Deixe uma resposta

Fechar Menu