QUEM SOMOS

A Associação Educadora São Carlos (AESC) é uma instituição focada nas áreas da saúde, da educação e da responsabilidade social. Por meio dos seus estabelecimentos hospitalares e ambulatoriais e seus colégios, bem como do Centro de Atendimento ao Migrante (CAM), promove ações educativas, de prevenção e de articulação de entidades congêneres na busca de assegurar os direitos socioassistenciais para melhorar a qualidade de vida da população.

Fundada em 1962, tem sede em Caxias do Sul (RS). Sua origem se deve à Congregação das Irmãs Missionárias de São Carlos Borromeo-Scalabrinianas, que, presentes no Rio Grande do Sul desde 1915, vieram com a finalidade de atender, de modo particular, a pessoas migrantes vindas da Itália, fragilizadas na sua condição socioeconômica e cultural desde suas localidades de origem. O alcance desse trabalho se expandiu, e hoje chega a seis cidades do Estado, alcançando mais de 200 mil pessoas/ano e demonstrando que a essência e o carisma que movem suas condutoras se mantêm intactos.

Missão

Prestar serviços em saúde, educação, e desenvolver projetos de responsabilidade social com qualidade, competência e sustentabilidade.

Visão

Ser uma Instituição sustentável e inovadora, nas áreas da saúde, educação e projetos de responsabilidade social, com práticas de governança corporativa e lideranças empreendedoras.

Valores

Os valores congregacionais transformaram-se em princípios de ação que permeiam todas as relações que se estabelecem no processo de prestação dos serviços, com todos os públicos com os quais a AESC interage.

ACOLHIDA: Criar espaço de convivência, aceitação de si e do outro e estabelecer vínculos.

FRATERNIDADE: Estabelecer relações de irmãos/irmãs e de alteridade que humanizem.

ESPERANÇA: Ter atitude de fé que impulsiona a criatividade, a coragem, acreditar no futuro, no dinamismo das ações e na realização das utopias.

COMPAIXÃO: Ter atitude solidária de presença, desprendimento, disponibilidade e ação para com o outro.

UNIVERSALIDADE: Ter abertura às diferentes realidades humanas, culturais e religiosas. Desenvolver a capacidade de ultrapassar fronteiras, respeitar e somar com as diferenças.

ITINERÂNCIA: Exercer a mobilidade no tempo, no espaço, na mentalidade e na visão de pessoa humana, igreja e mundo.

Princípios de Gestão

Ética – Respeitar a vida, a dignidade e os direitos das pessoas, agindo com honestidade, transparência, Acolhida, Solidariedade, Fraternidade, Promoção Humana, Cidadania, Participação, Justiça e Universidade.

Competência – Atuar com conhecimento, habilidades e atitudes para o exercício qualificado das diferentes funções, com foco na realização dos resultados.

Sustentabilidade – Buscar a continuidade da Instituição, de forma ecologicamente correta, economicamente viável, socialmente justa e culturalmente aceita.

Conhecimento – Adquirir, sistematizar e fomentar o conhecimento para fundamentar, aprimorar e inovar os processos organizacionais.

Profissionalismo – Atuar com competência técnica, comprometimento, responsabilidade e em conformidade com os princípios que regem a sua profissão para que as metas e os objetivos da Instituição sejam alcançados.

Pilares: 

  • Crescimento sustentável
  • Ética
  • Vocação em acolher
  • Pessoas

Congregação

A Congregação das Irmãs Missionárias de São Carlos Borromeo-Scalabrinianas foi fundada pelo bispo de Piacenza, na Itália, São João Batista Scalabrini, no dia 25 de outubro de 1895, sensibilizado diante da forte e dolorosa visão da emigração de centenas de pessoas na estação de Milão, que deviam abandonar a pátria para buscar melhores condições de vida.

Scalabrini assumiu a causa do migrante, empenhou-se no estudo da análise da realidade e sensibilizou autoridades civis, eclesiásticas e opinião pública. Nesta ação sociopastoral, constatou que a missão por ele iniciada devia ser complementada com a participação de uma Congregação feminina. Foi então que, no dia 25 de outubro de 1895, o bispo enviou um grupo de quatro missionárias de Piacenza para o Brasil: Assunta Marchetti e mais três companheiras atravessaram o Oceano Atlântico a fim de acompanhar e dar assistência aos imigrantes, junto com o irmão dela, padre José Marchetti.

Hoje, mais de 125 anos depois, a missão continua, com o serviço evangélico e missionário aos migrantes e refugiados, os mais pobres e necessitados de assistência espiritual e social. A Congregação está presente em 27 nações e em quatro continentes, e conta com mais de 500 irmãs. Sua Sede Geral está situada em Roma, Itália.

No Rio Grande do Sul, a Associação Educadora São Carlos (AESC), com sede em Caxias do Sul, representa a personalidade jurídica do trabalho das Missionárias de São Carlos Scalabrinianas (MSCS). São desenvolvidas obras nos campos da Saúde, da Educação e da Responsabilidade Social, com o acolhimento a migrantes.

São João Batista Scalabrini
Madre Assunta Marchetti
Padre José Marchetti
São Carlos Borromeo – Protetor da Congregação
1887
1889
1895
1904
1915
1917
1936
1953
1962
1973
1979
1984
1988
1994
1996
1997
2002
2003
2007
2009
2017
2018
2019
2020
2021
2022

1887

O Bispo da Diocese de Piacenza, na Itália, João Batista Scalabrini, funda a Congregação dos Missionários de São Carlos.

1889

Instituída a associação laical São Rafael, para assistência aos Migrantes.

1895

João Batista Scalabrini, ao lado do Padre José Marchetti e da Madre Assunta Marchetti, funda a Congregação das Irmãs Missionárias de São Carlos Borromeo-Scalabrinianas.

 

1904

Na única vinda ao Brasil, Scalabrini inclui o RS em seus compromissos. Conhece Porto Alegre, Encantado, Garibaldi, Bento Gonçalves, Nova Bassano, Veranópolis e Caxias do Sul.

1915

Irmãs Scalabrinianas chegam ao RS para iniciar trabalhos com imigrantes italianos em escolas e hospitais.

1917

Têm início as atividades do Colégio Nossa Sra. de Lourdes, em Farroupilha (RS), à época Nova Vicenza.

1936

Abertura do Colégio São Carlos, em Caxias do Sul, RS

1953

Abertura do Colégio São Carlos, em Santa Vitória do Palmar, RS

1962

Criada, em Caxias do Sul, a Sociedade Educadora Beneficente do Sul (SEBS), instituição jurídica da Congregação das Irmãs Missionárias de São Carlos Borromeo-Scalabrinianas no RS.

1973

Fundação do Centro de Cuidados Nossa Senhora da Paz, em Caxias do Sul (RS) – Funcionamento até 31/12/2018.

 

1979

Abertura do Hospital Mãe de Deus, em Porto Alegre, RS

1984

Criação do Centro de Atendimento ao Migrante, em Caxias do Sul, RS

Em 4 de junho de 1984, considerando um elevado número de pessoas que, de outras cidades e do campo se dirigiam a Caxias do Sul, buscando oportunidade de emprego, de trabalho, de estudo e melhores condições de vida, foi criado o Centro de Atendimento ao Migrante – CAM, para atender e desenvolver atividades, de acordo com as necessidades dessa população.

1988

Fundação do Centro Scalabriniano de Estudos Migratórios, em Brasília, DF

1994

Alteração estatutária e instituição de novos órgãos de administração

1996

Incorporação do Hospital Santa Luzia, em Capão da Canoa, RS

 

1997

Incorporação do Hospital Nossa Senhora dos Navegantes, em Torres, RS

2002

Abertura do Mãe de Deus – Unidade Carlos Gomes, em Porto Alegre/RS (à época Hospital Giovanni Battista).

2003

Alteração de denominação de Sociedade Educadora e Beneficente do Sul (SEBS) para Associação Educadora São Carlos (AESC)

2007

Centro de Oncologia Radioterápica (atualmente Unidade de Radioterapia do Mãe de Deus – Centro Integrado de Oncologia), é incorporado ao Hospital, em Porto Alegre/RS.

2009

Têm início as atividades em Saúde Mental da AESC em Porto Alegre: Centros de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (CAPS AD II) Vila Nova e CAPS AD II IAPI, e Unidade São Rafael, para mulheres (atualmente no Hospital Santa Ana).

2017

Criação do Centro de Serviços Compartilhados (CSC), nas cidades de Porto Alegre e de Caxias do Sul, para as atividades administrativas às unidades de negócio da mantenedora.

2018

Inauguração do Hospital Santa Ana, em Porto Alegre

2019

Inauguração do CAPS AD IV Centro Céu Aberto, pioneiro no Brasil. Reinauguração das outras três unidades dos CAPS AD III: Partenon – Lomba do Pinheiro; Sul – Centro Sul; e Navegantes, Humaitá, Noroeste e Ilhas.

Apresentação da nova marca AESC e das unidades e serviços de Saúde Complementar.

2020

Todas as operações do Centro de Serviços Compartilhados (CSC) se concentram em Porto Alegre. Permanece, em Caxias do Sul, um escritório executivo e a Administração da mantenedora.
Congregação das Irmãs Missionárias de São Carlos Borromeo-Scalabrinianas celebra jubileu de 125 anos de fundação.

2021

Criado o Legame – Teleatendimento em Saúde Mental.

Abertura do Mãe de Deus Unidade Capão da Canoa.

2022

AESC completa 60 anos.

Ano Scalabriniano celebra os 25 da beatificação do Fundador.

João Batista Scalabrini é proclamado Santo pela Igreja, com canonização em 09/10/2022.

Governança

Diretoria

Ir. Lucia Boniatti – Diretora Presidente
Ir. Elena Ferrarini – Diretora Vice-Presidente
Ir. Lourdes Terezinha Barbieri Diretora Financeira
João Baptista Feijó – Diretor Administrativo-Financeiro
Maximiliano das Chagas Marques – Diretor Executivo de Saúde Complementar
Dr. Rafael Cremonese – Diretor Geral do Hospital Mãe de Deus

CSC

Centro de Serviços Compartilhados (CSC)

O Centro de Serviços Compartilhados (CSC) é uma unidade da organização que consiste em um ambiente nos quais diversas atividades de backoffice são executadas com foco na excelência da prestação de serviços e atendimento aos clientes internos da corporação no prazo adequado, buscando padronização dos processos, produtividade e melhoria na qualidade dos serviços prestados. Assim, maximizando a utilização de seus recursos através de controles de eficiência, eficácia e efetividade.

Nosso CSC é composto pelas áreas:

  • Assessoria Jurídica / Compliance / Filantropia e Registros
  • Compras
  • Marketing e Comunicação
  • Controladoria de Operações
  • Faturamento
  • Finanças
  • Contabilidade
  • Patrimônio
  • Gente e Desenvolvimento
  • Gestão do CSC / Projetos / Infraestrutura
  • Tecnologia e Soluções

Relatório AESC 2013 - 2020

Ao longo do segundo semestre de 2020, em meio ao ápice da pandemia do novo coronavírus no Rio Grande do Sul, um projeto institucional da Associação Educadora São Carlos rompeu o campo das ideias e ganhou vida. Muito além de um grupo de textos, depoimentos, gráficos e imagens, a publicação que você tem a oportunidade de desfrutar é resultado de múltiplas vozes.

Recuperamos nesta obra um período recente e marcante na história da AESC. O projeto de transformação que teve sua gênese há dez anos se materializou gradualmente, superando desafios, mudanças de legislação, crises econômicas, políticas e sanitárias, sem nunca perder o foco. Nesse período, agregou parceiros, integrou e deu protagonismo às pessoas, entendendo que a partir delas as aspirações se concretizariam.

Fechar Menu