Irmã Celsa, em atendimento no CAM: sorriso acolhedor para todos que buscam amparo e orientação | Fotos: Brun Filmes/Emmanuel Denauí

Quem chega à porta do Centro de Atendimento ao Migrante, em Caxias do Sul, é recebido com o olhar doce e jeito atencioso de quem traz em bagagem pessoal uma série de vivências que contribuíram para formar um ser humano solidário e de coração generoso. A Irmã Celsa Zucco multiplica a vocação acolhedora da AESC com cada imigrante ou visitante que se dirige à simpática casinha situada na Rua Professor Marcos Martini, 1600 – Bairro Marechal Floriano, onde fica o CAM.

Nascida em Farroupilha, traz em suas raízes a cultura dos imigrantes italianos que povoaram a Serra Gaúcha desde o final do século 19. Criada na localidade de Caravaggio, estudou na Escola Nossa Senhora de Caravaggio, na cidade natal, e no Colégio São Carlos, em Caxias do Sul, antes de rumar para a zona sul do Estado. Lá, na Universidade Católica de Pelotas, cursou Serviço Social, agregando conteúdo para seu desenvolvimento pessoal e profissional. A sede por aprendizado ainda a levou às especializações em Educação Popular, pela Unisinos, e Desenvolvimento Sustentável, pela Ulbra Canoas.

A vocação para dedicar-se à vida confessional vem da juventude. “Sempre convivi e estudei com as Irmãs Missionárias de São Carlos Borromeo Scalabrinianas (MSCS). Decidi ser religiosa Scalabriniana, aos 23 anos, iniciando a carreira como professora”. Irmã Celsa lecionou no Colégio São Carlos e foi diretora e professora da Escola Santa Cruz, na localidade de Nova Milano, em Farroupilha, onde os alunos eram filhos de agricultores e era ofertado até o 5º ano do Ensino Fundamental.

“Minha convivência com aquela comunidade mostrou que havia muitos jovens fora da escola pelo difícil acesso à educação e por trabalharem na agricultura. Em parceria com a Secretaria Municipal de Educação, abrimos um curso à noite. Oferecemos alfabetização de adultos e a possibilidade de complementarem o Ensino Fundamental.  Essa experiência me mostrou o poder da Educação Popular”, relata com carinho.

“Muitos dos jovens agricultores que estudavam à noite e acessavam a escola a cavalo, hoje são empresários, juízes, advogados, contadores, agricultores bem-sucedidos. Constituíram família. Sempre que me encontram dizem que ‘a Escola Santa Cruz mudou nossa vida’.”

Mais tarde, durante o período da Graduação, trabalhou no Instituto de Menores de Pelotas, sendo pioneira como educadora social. “Era a única mulher educadora. Havia 220 internos. Era responsável pela faixa etária de 17 e 18 anos. Tinha mais de 40 rapazes para acompanhar, na escola, no ensino profissionalizante, preparando-os para saírem da Entidade”, recorda

“Ser mulher junto aos jovens que perderam o vínculo familiar cria laços para sempre”.

Ao concluir o curso de Serviço Social, no ano de 1977, irmã Celsa atravessou a fronteira rumo a Buenos Aires, na Argentina, onde iniciou o trabalho com imigrantes e refugiados no Refúgio Laprida, tema que mobiliza seus esforços e ao qual se dedica diariamente.

“O trabalho com as mulheres e crianças em Buenos Aires me fez conhecer o poder e a força da mulher mesmo dentro de um refúgio numa ditadura militar”

De volta ao Brasil, dedicou-se ao Centro Nossa Senhora da Paz, que até 2018 estava sob gestão da AESC. “Ali conheci a força da comunidade. Quando ela assume suas crianças, se transforma, se potencializa e se empodera”, destaca.

O Hospital Mãe de Deus é outra unidade da AESC que está na trajetória laboral da Irmã Celsa. Entre os anos de 1990 a 2008 desenvolveu trabalhos em Porto Alegre e afirma ter crescido muito durante essa experiência. “Aprendi que o hospital acolhe, educa, cura e transforma a comunidade. Ele é o Sinal, tem a Força da Cura, um misto do conhecimento e do sagrado. Tive vivências maravilhosas com pacientes, familiares, comunidade, funcionários, médicos e voluntários”.

Nos dias de hoje, sua atenção é totalmente voltada ao CAM, onde se sente enviada pela Congregação. “Em nome de cada um – funcionários, voluntários e Irmãs – devo cumprir a missão de acolher, proteger, promover e integrar os imigrantes e refugiados que buscam vida digna para si e para suas famílias. Cada dia é um desafio diferente, mas junto com a equipe, sinto que fomos escolhidos e delegados para sermos presença da Congregação junto aos imigrantes que buscam o CAM”, revela. Esse é o desafio que move e motiva Irmã Celsa ao despertar a cada manhã.

Este post tem 14 comentários

  1. hey there and thank you for your info – I
    have definitely picked up anything new from right here. I did however expertise some
    technical issues using this site, since I experienced to reload
    the web site lots of times previous to I could get it to load properly.
    I had been wondering if your web hosting is OK? Not that I’m complaining, but sluggish loading instances times will often affect your placement in google
    and can damage your high-quality score if advertising and marketing with Adwords.
    Well I am adding this RSS to my e-mail and could look out for much more of your
    respective intriguing content. Make sure you update this again very soon. asmr
    0mniartist

  2. I am not sure where you’re getting your information, but
    great topic. I needs to spend some time learning more or understanding more.
    Thanks for wonderful info I was looking for this information for
    my mission. asmr 0mniartist

  3. I read this paragraph completely concerning the comparison of most up-to-date
    and earlier technologies, it’s remarkable article.
    asmr 0mniartist

  4. Wow that was odd. I just wrote an extremely long comment but after I clicked
    submit my comment didn’t appear. Grrrr… well I’m not writing all that
    over again. Anyhow, just wanted to say superb blog! 0mniartist asmr

  5. What a information of un-ambiguity and preserveness
    of valuable knowledge about unexpected emotions.

  6. I constantly spent my half an hour to read this web site’s content everyday along with a cup of coffee.

  7. I’m amazed, I have to admit. Rarely do I encounter a blog
    that’s both equally educative and interesting, and without a doubt, you’ve hit the
    nail on the head. The issue is an issue that too few men and women are speaking
    intelligently about. I’m very happy that I stumbled
    across this in my hunt for something relating to this.

  8. If you wish for to obtain much from this piece of writing
    then you have to apply such techniques to your
    won blog.

  9. I believe this is one of the such a lot significant information for me.
    And i am happy studying your article. However want to statement on few
    normal issues, The website taste is ideal, the articles is
    in reality excellent : D. Good activity, cheers

  10. Pretty! This was a really wonderful post. Thank you for supplying these details.

  11. Aw, this was a very nice post. Spending some time and actual effort to
    create a superb article… but what can I say… I put things off a
    whole lot and never manage to get nearly anything done.

  12. Hi there, I enjoy reading all of your article post.
    I wanted to write a little comment to support you.

  13. I have fun with, cause I found just what I used to be having a look for.
    You have ended my four day lengthy hunt! God Bless you man. Have a nice day.
    Bye

Deixe uma resposta

Fechar Menu