Acolhimento a usuário no ambiente externo do CAPS AD Sul Centro Sul / Foto: Comunicação AESC

Quando os primeiros casos de Covid-19 foram diagnosticados no Rio Grande do Sul, em março de 2020, houve o fechamento de estabelecimentos de ensino, de serviços e de comércio. A realidade, hoje, se mantém, mas à época, a palavra de ordem era “fique em casa”, como única forma de se precaver do pouco conhecido coronavírus. Mas e quem não tem casa?

O questionamento partiu de profissionais dos quatro Centros de Atenção Psicossocial Álcool e outras Drogas (CAPS AD) mantidos pela Associação Educadora São Calos (AESC), em Porto Alegre. Esse olhar empático, de quem diariamente acolhe pessoas em situação fragilizada, gerou formas de cuidado e atendimento inovadoras nos últimos 12 meses. Com isso, alcançaram mais de 7.300 usuários presenciais com prontuários ativos. Os números revelam um recorde, superando em 18% o mesmo período anterior.

Podcast leva cuidado para a rua, para quem não tem casa

Um microfone na mão, uma ideia na cabeça e centenas de ouvintes a espera de informação. Não é somente nas plataformas digitais que os podcasts existem ou se popularizam. É também nas ruas, junto àqueles que não acessam novas tecnologias, que buscam um abrigo e uma forma de sobreviver a cada dia.

Moradores e situação de rua representam 85% dos mais de 1.000 prontuários ativos no CAPS AD IV Centro Céu Aberto, localizado na Rua Comendador Azevedo, 97. Em uma das cenas abertas de uso de substâncias psicoativas da Capital, a precaução com a Covid-19 chegou por meio de uma caixa de som, pela visita aos barracos improvisados em meio as calçadas, pela conversa sobre os riscos da doença. Foi com essa abordagem que profissionais da saúde do serviço orientaram os usuários desde o início da pandemia, lembra Danara Dall Agnol, coordenadora do CAPS AD III NHNI.

Live promovida no ambiente Workplace da AESC celebrou aniversário dos CAPS AD, em 30/03, com o novo espaço de educação permanente

Monitoramento telefônico: 28 mil oportunidades de escuta

Lançado em 23 de março de 2020, o serviço de Monitoramento Telefônico implementou um formato de atendimento capaz de manter o vínculo estabelecido entre os terapeutas de referência e os usuários cadastrados. “O desafio de repensar o acolhimento e a troca de afeto foi logo encontrado com a experiência do monitoramento dos usuários por telefone, o que logo se tornou a mais inovadora ferramenta de sustentação de vínculo – com larga escala.  Ao completar um ano, chegou a 28 mil ligações. Em dezembro de 2020, a iniciativa de busca ativa via o Monitoramento Telefônico foi  apresentada como experiencia de boas práticas em saúde a partir da Covid-19 no 7º Congresso Brasileiro de Saúde Mental”, destaca Kaciely Jacino, coordenadora do CAPS AD IV Centro Céu Aberto.

Cuidado ao Cuidador

Meditação foi uma das ações promovidas entre profissionais para atenuar desafios da pandemia / Foto: AESC/CAPS AD IV

Para obter resultados positivos e expressivos, o trabalho frente à pandemia contou com planos de contingenciamento direcionados para o cuidado aos profissionais da saúde que atuam em serviços de saúde mental. Essa iniciativa foi incentivada desde o início. Ao longo do ano, diálogos e orientações abrangeram desde a necessidade do distanciamento físico e a importância do uso dos equipamentos de proteção individuais até rodas de conversa e exercícios para atenuar os desafios impostos pela pandemia. “Essas ações que impactaram de forma propositiva no bem-estar das equipes”, e explica Clariana Casagrande, coordenadora do CAPS AD III SCS.

CAPS AD reservam espaço de educação permanente para equipes

Para manter a qualificação contínua dos profissionais dos CAPS AD, foi demarcado, em 30 março de 2021, o Espaço de Educação Permanente em Serviço. A data remete ao aniversário dos CAPS mantidos pela AESC, desde 2009.  Com agenda semanal o encontro será realizado em cada serviço, e sempre que necessário com a utilização da ferramenta de comunicação interna Workplace.

Os encontros formativos, com temas pertinentes ao campo da saúde, ocorrerão regularmente às terças, em horários programados com as equipes da manhã e da tarde, e às terças e quartas-feiras, sempre na segunda semana do mês, com as equipes da noite.  

“Nosso objetivo é sustentar a cultura da educação permanente em serviço, liderada pelas coordenadoras dos nossos quatro CAPS AD, para reafirmar a entrega de valor aos usuários. Na prática, esses momentos de sempre foram utilizados como ‘reunião de equipe’.  A partir dos aprendizados advindos da pandemia da Covid-19, percebemos que estimular um espaço para troca de conhecimentos e o aprimoramento de novos conceitos de trabalho seria de grande relevância para as equipes e a cultura dos serviços”, destaca Arlete Fante, gestora de Saúde Mental.

‘Itinerários do Cuidado’ marca período de aniversário dos CAPS

Terapeutas ocupacionais dos CAPS AD conduziram atividade dos murais que compõem os Itinerários do Cuidado

Em 2019, houve a abertura do pioneiro CAPS AD IV Centro Céu Aberto, único no Brasil na modalidade de cuidado com portas abertas 24h. Paralelamente, a AESC promoveu qualificação, atualização de endereço e ampliação de acesso nos seus outros três CAPS. Com isso, a data de 29 de março tornou-se referência para o serviço realizado via SUS, por meio de compromisso da mantenedora com a Secretaria Municipal da Saúde de Porto Alegre.

Esse ano, a data foi celebrada com o lançamento do Espaço de Educação Permanente e com a divulgação da ação Itinerários do Cuidado. A ideia, surgida em fevereiro, era expressar os aprendizados e sentimentos acumulados em um ano de pandemia, por profissionais e usuários, de maneira criativa, por meio da arte. O meio escolhido foram murais instalados em cada uma das unidades dos CAPS. As duplas de terapeutas ocupacionais conduziram a iniciativa, permeada pela temática da itinerância, um dos valores da AESC.

“A itinerância tem significado importante para a Congregação das Irmãs de São Carlos Borromeo-Scalabrinianas, que conduzem a AESC. Ela representa mobilidade, mas institucionalmente, seu conceito avança para o tempo, o espaço, a mentalidade e a visão de pessoa humana, o que reflete nossas equipes e a peregrinação dos usuários. Compartilhamos desse valor, em sintonia com as diretrizes do SUS”, contextualiza Arlete. 

Termos de cooperação acadêmica reforçam troca de conhecimento

Desde 2020, um termo de cooperação   envolvendo a Residência Multiprofissional de Saúde Mental e Coletiva da UFRGS, agrega valor e conhecimento ao trabalho.  A proposta é gerar trocas, com a abertura dos espaços de trabalho dos CAPS e das experiências de seus profissionais sendo somadas à expertise das universidades, com conhecimento e pesquisa. Outras propostas de cooperação estão em tratativas para ampliar a rede e incentivar a cultura do conhecimento acadêmico nos serviços.

CAPS AD mantidos pela AESC

Porto Alegre conta com oito regiões de saúde, de acordo a Secretaria Municipal da Saúde. Os CAPS AD AESC estão presentes em quatro delas. Confira o serviço e os horários de atendimento neste link: https://www.aesc.org.br/caps/.

  • CAPS AD III Partenon-Lomba do Pinheiro (PLP) – Rua Dona Firmina, 144
  • CAPS AD III Sul-Centro Sul (SCS) – Av. Cavalhada, 1930
  • CAPS AD III Noroeste, Humaitá, Navegantes e Ilhas (NHNI) – Av. Pernambuco, 1700
  • CAPS AD III Centro – Céu Aberto – Rua Comendador Azevedo, 97

Este post tem 3 comentários

  1. Thanks for the good writeup. It actually was once a
    enjoyment account it. Glance complicated to more introduced agreeable from you!
    By the way, how can we keep in touch? 0mniartist asmr

  2. I do believe all of the ideas you have presented for your
    post. They’re really convincing and will definitely work.
    Still, the posts are too short for starters. May
    you please lengthen them a bit from subsequent time? Thanks for the post.
    asmr 0mniartist

  3. Hi, I check your blog daily. Your story-telling style is awesome, keep doing what you’re doing!
    asmr 0mniartist

Deixe uma resposta

Fechar Menu